Baiacu de Alguém

Carregando...
Redes sociais:
RSS

Indicar página

Projeto

ASSOCIAÇÃO CULTURAL BAIACU DE ALGUÉM

PESCADORES DE CULTURA – PROJETO DE MOBILIZAÇÃO SÓCIO-CULTURAL DO DISTRITO DE SANTO ANTÔNIO DE LISBOA – FLORIANÓPOLIS

O projeto Pescadores de Cultura tem como meta potencializar a rede de iniciativas culturais do distrito de Santo Antônio de Lisboa, através do resgate das tradições de sua cultura popular, bem como do incentivo na formação e expressão musical para moradores do distrito e da cidade de Florianópolis, construindo espaços de integração comunitária.

Este projeto, cujo executor é a Associação Cultural Baiacu de Alguém, representa a unificação de instituições representativas do distrito de Santo Antônio de Lisboa em torno de uma rede de iniciativas culturais, sendo parceiros do projeto e membros do Conselho de Gestão Compartilhada a Associação de Bairro de Sambaqui, o Conselho Comunitário de Sambaqui, a Associação de Moradores de Santo Antônio de Lisboa e a Associação de Artistas e Artesãos de Santo Antônio de Lisboa. 

Ele está organizado em diretrizes articuladas, cuja execução se integrará tanto no nível executivo, quanto no seu direcionamento, a partir do Conselho de Gestão Compartilhada. Sua divisão tem a pretensão exclusiva de facilitar a estruturação metodológica das atividades a serem desenvolvidas.  

DIRETRIZ I: Tradições Culturais

  • Levantar as tradições sócio-culturais, identificando as práticas, os agentes e as peculiaridades da cultura local;
  • Possibilitar o registro em áudio e vídeo das tradições locais pelos moradores, capacitados para tal.  

AÇÕES:

a)     Levantamento da história oral e das tradições culturais do distrito de Santo Antônio de Lisboa (folguedos, cantorias, cantigas, boi de mamão, pau de fita, ratoeira, farinhada, saber fazer de embarcações, comidas, etc.);

b)    Registro e produção de áudio e vídeo das tradições locais. 

c)     Oficinas de produção e edição digital de audiovisual, com uso de software livre, com adolescentes e jovens moradores da comunidade;

METAS:

1)     Resgatar as tradições culturais locais

2)     Coleta de materiais, edição e produção de 1 (um) kit de áudio e vídeo multimídia da cultura local, sua história e as práticas contemporâneas;

3)     Formação de 10 adolescentes em registro e edição de áudio e vídeo digital, com uso de software livre

 

INDICADORES DE PROCESSO: Relatório do levantamento das tradições culturais /   Registros em áudio e vídeo / Publicação do kit multimídia (impresso, CD, DVD, sítio de internet)

 

DIRETRIZ II: Formação Musical

  • Potencializar a formação musical dos moradores através de oficinas de musicalização, domínio de técnicas específicas por instrumento e de produção e edição musical;
  • Promover um espaço regular mensal de expressão musical e integração comunitária 

AÇÕES:

a)     Oficinas de formação musical: Cavaquinho; Violão; Percussão; Hip-hop, Canto e Dança

b)    Registro e produção de áudio e vídeo das expressões musicais locais.

c)     Sábados Culturais do Baiacu de Alguém

 

METAS:

4)     Desenvolvimento das oficinas de formação musical para 75 (setenta e cinco) moradores do Distrito de Santo Antônio de Lisboa

5)     Formação de 10 adolescentes em registro e edição de áudio e vídeo digital, com uso de software livre

6)     Registro, edição e produção de 2 DVDs e 2 CDs com as expressões musicais locais;

7)     Realização de 18 (dezoito) Sábados Culturais do baiacu de alguém

 

INDICADORES DE PROCESSO: Relatórios de oficinas de musicalidade / Lista de presença das oficinas de musicalidade / Registro em vídeo do desenvolvimento das oficinas / Relatórios de oficinas de comunicação popular / Lista de presença das oficinas de musicalidade / Registro em vídeo do desenvolvimento das oficinas / 2 (dois) DVDs e 2 (dois) CDs contendo o registro de expressões musicais locais / Registro em vídeo dos Sábados Culturais do Baiacu de Alguém.

 

DIRETRIZ III: Arrastão Cultural

  • Produzir e realizar um “arrastão cultural”, na forma de espetáculo modular para divulgação dos valores culturais locais em diferentes oportunidades.
  •  

AÇÕES:

a)     Oficinas de produção cultural: Cenários; Alegorias; Figurino; Roteiro;

b)    Apresentação do espetáculo completo nas comunidades do distrito;

c)     Apresentação de módulos do espetáculo em outras comunidades e espaços culturais do município;

 

METAS:

8)     Produção do espetáculo “Arrastão Cultural” – Mostra Cultural do Distrito de Santo Antônio de Lisboa

9)     6 (seis) apresentações do Arrastão Cultural no Distrito, incluindo o carnaval popular de Santo Antônio de Lisboa;

10)  3 (três) apresentações de módulos do arrastão cultural na cidade, em diferentes comunidades, de acordo com os espaços e ocasiões;

 

INDICADORES DE PROCESSO: Relatório das oficinas de produção do arrastão cultural / Lista de presença das oficinas / Registro em vídeo das oficinas de produção / Declarações dos responsáveis pelos eventos e espaços culturais do município

 

DIRETRIZ IV: Produção Geral do Projeto

  • Garantir o planejamento e a execução eficaz do projeto

 

AÇÕES:

a)     Reuniões de Planejamento das atividades

b)    Produção cultural de logística dos eventos e atividades previstos no projeto

 

METAS:

11)  36 reuniões de planejamento e monitoramento do projeto;

12)  Realização eficiente e eficaz de todas as atividades previstas no projeto

 

DETALHAMENTO DAS AÇÕES:

·        Oficinas de formação em registro e edição de áudio e vídeo: Estas oficinas de formação envolverão adolescentes e jovens, que desenvolverão habilidades de manuseio de equipamento, coleta, e edição de imagens e sons em formato digital, utilizando software livre.

 

·        Levantamento da história oral e oficial das tradições culturais do distrito de Santo Antônio de Lisboa: A partir de uma pesquisa, já realizada, foram identificadas diversas iniciativas culturais vivas na comunidade, na forma de folguedos, cantorias, cantigas, boi de mamão, pau de fita, ratoeira, farinhada, saber fazer de embarcações, comidas, etc. Pretende-se realizar um levantamento histórico destas práticas, com o objetivo de valorizá-las e integrá-las as demais atividades da vida social. Já estão articuladas as escolas públicas e privadas da localidade, as entidades e as lideranças comunitárias, os artistas e intelectuais do distrito. Sua realização se dará na forma de sistematização de informações e registro em áudio e vídeo, gerando produtos culturais próprios.

 

·        Registro e produção de áudio e vídeo das tradições locais pelos a partir de oficinas de formação: Tomando por base os dados coletados na pesquisa, os participantes das oficinas produzirão registros das tradições culturais locais.

 

·        Sábados Culturais do Baiacu de Alguém: Encontros musicais mensais, tradicionalmente já realizadas pelo Baiacu, com a presença de músicos convidados, bandas locais e integrantes das oficinas de musicalidade. São eventos festivos, que atraem grande participação da comunidade.

 

·        Oficinas de formação musical: As oficinas de formação musical têm grande poder de atração em relação aos adolescentes e jovens da comunidade, especialmente aqueles em maior vulnerabilidade social, e cumprem o papel de porta de entrada para as demais ações do projeto. Foi também realizada,quando da realização de projeto anterior, apoiado pela Fundação Luterana de Diaconia, uma pesquisa de interesses culturais com os estudantes das escolas públicas e privadas da localidade, que serviu de base para a definição das oficinas. Dentre os participantes será garantida a presença, através de cotas específicas, de pessoas com deficiência.

 

·        Registro e produção de áudio e vídeo das expressões musicais locais: Na pesquisa de iniciativas culturais locais, já realizada, foram identificados diversas atividades ligadas à música. Pretende-se produzir, também com base em oficinas com adolescentes e jovens em maior vulnerabilidade social, o registro de áudio e vídeo destas experiências contemporâneas. Os produtos gerados primarão pelo ineditismo, pluralidade cultural, produção coletiva e valorização da cultura local.

 

·        Oficinas de produção cultural: As oficinas visam capacitar os participantes e produzir um espetáculo múltiplo com as diversas expressões culturais da localidade. Serão considerados os elementos colhidos na pesquisa das tradições locais e gerado, coletivamente, um espetáculo que articule o máximo possível das expressões locais. As oficinas abordarão as diversas dimensões necessárias à feitura do espetáculo, como: Cenários; Alegorias; Bonecos; Figurino; Roteiro.

 

·        Apresentação do espetáculo completo nas comunidades do distrito: Serão realizadas seis apresentações nas comunidades do distrito, em locais abertos ao público e gratuitos, procurando mobilizar o maior número possível de moradores para a valorização dos talentos e cultura local. Estas apresentações, incluindo os ensaios necessários, são também oportunidades para a integração dos diferentes grupos culturais existentes, inclusive os festejos de carnaval popular em Santo Antônio de Lisboa e a Gincaponta em Sambaqui. A estrutura modular do mesmo tem por objetivo a adequação do mesmo às oportunidades de apresentação que surgirem posteriormente.

 

·        Apresentação de módulos do espetáculo em outras comunidades e espaços culturais do município: O espetáculo será disponibilizado para apresentação em eventos públicos, de iniciativa governamental ou comunitária, em diferentes comunidades de Florianópolis. Dependendo da oportunidade serão apresentados módulos específicos ou todo o espetáculo, sempre que possível.

 

 

 

05- JUSTIFICATIVA DA PROPOSIÇÃO:

Florianópolis, capital e centro administrativo do Estado de Santa Catarina, está situada em uma ilha oceânica com 523 quilômetros quadrados e tem uma população aproximada de 406 mil habitantes, segundo o IBGE/2006. O distrito de Santo Antônio de Lisboa está localizado no noroeste desta Ilha e é banhado pelas águas da baia norte. É composto por quatro comunidades: Santo Antonio de Lisboa, Cacupé, Sambaqui e Barra do Sambaqui. Sua população, segundo o IBGE 2000, era de 4.914 pessoas, tendo uma área total 21,6 km2 e 31.014 Km de extensão. É um dos distritos mais antigos da cidade, criado em torno de 1750. Preserva em suas ruas fortes marcas da história da colonização açoriana, já que, a partir de 1748, casais açorianos escolheram estas terras paradisíacas para deitar raízes, trazendo consigo suas tradições e costumes.

No aspecto econômico a pesca predominou por muitos anos, marcando o modo de vida do lugar. Com a decadência da pesca artesanal, a partir de meados do século XX, os seus moradores deslocaram-se para ocupações no centro da cidade de Florianópolis, como comerciários, bancários, servidores públicos ou ainda como trabalhadores dos diversos restaurantes que surgiram na região. A maricultura, introduzida há alguns anos, assim com a gastronomia, típica de zona pesqueira, é hoje uma das poucas atividades que envolvem grupos das famílias remanescentes da pesca artesanal.

Com o grande crescimento populacional de toda cidade de Florianópolis nas últimas décadas, Santo Antônio de Lisboa recebeu um número significativo de migrantes que, juntamente com a população nativa, fez do distrito uma microrregião particularmente rica e importante para a cultura popular da Ilha. Seus habitantes têm entranhado a concepção de preservação das tradições e hábitos, sem estar fechado para os avanços, desde que sustentáveis.  É forte o sentido de vida comunitária, estando presente nas diversas manifestações culturais: a) nas festas típicas, como a Festa do Divino da Igreja Nossa Senhora das Necessidades, uma das mais antigas da Ilha; na Farinhada do Engenho dos Andrades, engenho preservado do século XVIII, um dos centros culturais da região; na Gincaponta - gincana esportivo-cultural, que em tem mais de 17 edições, promovida pela Associação de Moradores de Sambaqui (ABS); na Festa da Cruz, típica da Ponta do Sambaqui e na cantoria do Boi de Mamão, cujo grupo da ABS é um dos poucos remanescentes da Ilha; b) a presença de alguns grupos musicais que resgatam as raízes açorianas, como é o caso do Grupo Folclórico Olaria de Sambaqui, que reúne pessoas nativas da comunidade, boa parte da terceira idade, que cantam o terno de reis, a dança da rendeira, o pau de fita, a ratoeira, entre outras; c) a presença de artistas locais, pescadores ou manezinhos que influenciados pela atmosfera cultural, tornaram-se pintores, escultores, músicos, artesãos, fotógrafos, com uma vasta produção artística: Elias Andrade (conhecido com Índio), Neri Andrade, Claudio Andrade, Carlinhos, Jandira Lorenz, entre tantos outros. 

Também atraiu artistas e intelectuais de outras regiões, que escolheram viver e contribuir com a cultura local, como podem ser vistos: d) na Feira das Alfaias, que ocorre nos fins de semana na pracinha do centro histórico, reunindo artesãos locais e do resto da cidade; e) na galeria de arte e centro cultural Casa Açoriana: rendas e tramóias ilhoas, que expõe e vende obra de artistas locais, coordenado pelo artista plástico Janga. Também na presença de outros centros de arte e artesanato, bem como antiquários; f) no Museu “Mundo Ovo” da artista plástica Eli Heil; g) na presença de muitos escritores, pintores, cineastas que escolheram morar em Santo Antônio.

Faz-se notar, também, a existência do casario açoriano preservado, entre os quais o Casarão da Ponta do Sambaqui, o Bar dos Açores, a Casa Açoriana, o Engenho dos Andrades, entre outras da região, mostram a riqueza da arquitetura açoriana. Sendo assim, o distrito é rico em diferentes expressões culturais.

Um número significativo de moradores, entretanto, não encontra oportunidades para gerar a própria renda e vive de subempregos e benefícios públicos. Especialmente os moradores da Barra do Sambaqui, última área a ser povoada na região e que carece das mais básicas estruturas urbanas, concentra grande número de adultos e jovens sem perspectivas de inserção no mercado de trabalho. Somado a isto, apesar da riqueza cultural do distrito, o acesso aos bens e atividades culturais, para estas populações em maior vulnerabilidade social, não é facilitado, pois normalmente os shows, cinemas, cursos de música, oferecidos em Florianópolis são caros e, assim de difícil acesso para população de baixa renda. Portanto, para muitos jovens faltam oportunidades de cultura, lazer, bem como preparo para o mercado de trabalho.

A população idosa, por sua vez, que tem grande presença na comunidade, tem também bastante restrita sua possibilidade de acesso a produção cultural. Titulares de uma tradição valiosa, ligada aos hábitos açorianos e à vida do mar, hoje encontram poucos lugares para expressar sua arte. O registro e a valorização destas práticas, além da inclusão dos próprios envolvidos, possibilita um elo intergeracional que contribui para o fortalecimento da identidade da comunidade.

Neste processo de efervescência cultural, por um lado, e, por outro lado, a luta pela conquista e manutenção da qualidade de vida para todos os moradores, fez com que as várias entidades sociais, organizativas, esportivas, culturais do distrito se articulassem na forma de uma rede de mobilização sócio-cultural. Com suas lutas históricas e permanentes pela preservação cultural e ambiental, movimentam a região através de festas, bailes, eventos culturais, esportivos, religiosos, manifestações políticas e têm no carnaval dos blocos de Santo Antônio, Sambaqui, Barra do Sambaqui e Cacupé, uma referência nas folias de momo da Ilha. 

Neste sentido, o Bloco de Carnaval Baiacu de Alguém, fundado em 1992, e organizado estatutariamente como Associação Cultural em 2007, com sua sede em Santo Antônio de Lisboa, consegue unificar em torno de si alguns destes artistas em suas atividades culturais. A bateria do bloco, composta por cerca de 130 integrantes, tem sido um dos grandes atrativos para participação dos adolescentes e jovens da comunidade, que tem nesta uma das principais alternativas culturais da região.

Sendo assim, o ponto de partida é o papel cultural já consolidado pelo Baiacu de Alguém.  A Associação, na verdade, já é uma referência na cidade de Florianópolis e, em especial, para a comunidade do Distrito de Santo Antônio em termos de espaço cultural, principalmente relacionado às suas atividades no carnaval, bem como nos Sábados Culturais no Baiacu de Alguém e em outras atividades festivas e de formação musical. Desta forma, o Baiacu vem, cada vez mais, sendo reconhecido pelos músicos e agentes culturais da cidade, pela comunidade e pela mídia, como um locus de preservação da música de qualidade, de resgate da cultura popular, sendo na prática um lugar de cultura viva (ver relatório de atividades). A consagração da Associação Cultural Baiacu de Alguém como um ponto de cultura irá consolidar e potencializar esta trajetória, ao melhorar a infra-estrutura para que este processo cultural de Santo Antônio de Lisboa e da cidade se qualifique e fortaleça, viabilizando-se como local de formação de “ativistas da cultura e da cidadania”.

Com base neste cenário, o projeto de ponto de cultura “Pescadores de Cultura – Projeto de Mobilização Sócio-Cultural do Distrito de Santo Antônio de Lisboa – Florianópolis”, cuja meta é a constituição de uma rede de iniciativas culturais do distrito, pretende, num fluxo temporal, resgatar e registrar em áudio e vídeo as tradições culturais, que marcaram a história deste distrito. O fio condutor de todo este processo é a formação e produção musical, que possibilita sentido de vida e visibilidade social para as pessoas que nele se envolvem, construindo o empoderamento sociocultural destes atores, quaisquer que sejam sua situação de vulnerabilidade.